Relato de parto pelo SUS (Maternidade Mandaqui)

No dia 29 de novembro, segundo minha ultrassom, estaria completando 41 semanas gestacional. Por ser perigoso esperar mais que isso para ter o bebê, os médicos da maternidade do Conjunto Hospitalar Mandaqui decidiram que eu deveria ter um parto induzido.


Cheguei no hospital às nove horas da manhã, fiz uma nova ultrassom para verificar se tinha algum problema com o bebê e detectaram que o meu líquido amniótico estava um pouco abaixo do normal. Minha internação ocorreu às 11h, quando fiz a coleta de sangue para o exame e subi até a sala de pré-parto. Minha pressão estava 11x7 quando cheguei e alterou para 8x5 quando fui internada.

Almocei às 12 horas. Arroz, batata doce, feijão e salada de alface. Tinha frango cozido, porém não comi pois sou vegetariana. Também veio um suco com açúcar e uma gelatina (com creme de leite) de morango. Uma ótima refeição para um hospital publico.


Logo após o almoço, fizeram o primeiro cardiotoco (exame que analisa os batimentos cardíacos do bebe). Às 13 horas, o primeiro comprido foi colocado e, 35 minutos depois, comecei a sentir um leve incômodo na barriga, mas ainda era mais leve que as cólicas que tive nos pródromos. Mais tarde, às 14h09, comecei a sentir dor nas costas.

Na hora do lanche da tarde, me trouxeram pão com manteiga e achocolatado. Depois disso, dormi cerca de uma hora e meia pra poder descansar.

Às 17h37, fizeram mais um cardiotoco. E, às 18 horas, oferecem o jantar que foi arroz, feijão, carne moída, batata ou alguma verdura que não consegui identificar. Além da salada de acelga, suco de maracujá e pão de mel como sobremesa.


O segundo comprido foi colocado às 19h55 e eu estava apenas com um dedo de dilatação. Lembrando que precisa de 10 dedos de dilatação para dar início ao trabalho de parto.

Minha pressão estabilizou (10x6) às 21h30. O meu tampão saiu às 22h, quando eu fui fazer xixi, e mais tarde, quando deu meia noite, saiu mais um pouco do tampão.

O terceiro cardiotoco foi feito às 1h40 e o outro comprido foi colocado às 2 horas. Eu ainda estava com um centímetro de dilatação.

Depois desse momento minha vida mudou, as dores começaram a ficar mais frequentes e, cerca de duas horas depois, senti que minha pressão estava alterada e pedi para medirem . Estava certa! Minha pressão foi para 12x7 e minha dilatação foi para 7,5 centímetros. Foi muito rápido.

As dores foram aumentando, eu gritava e chorava de dor e minhas pernas tremiam muito por conta da dor. Foi quando eu virei na cama e fiquei de quatro (mais ou menos como na imagem) em cima da cama e minha mãe fazendo massagem nas minhas costas.


Às cinco horas e pouquinho, houve um sangramento e a médica pediu para eu fazer força porque o bebê já estava nascendo. Fui para a sala de parto, fiz muita força e gritei mais ainda até que o Noah nasceu às 5h24. E o melhor de tudo é que não precisei levar nenhum ponto.


Não foi nada fácil, eu senti uma dor tremenda que não tem como explicar, mas é algo que muda muito. Apesar de ter sido pelo SUS, a maternidade é muito boa e os médicos e enfermeiros são atenciosos e muito simpáticos.

Meu plano de parto

Apesar de saber que tudo pode acontecer e acabar saindo do modo não planejado, fiz meu plano de parto de acordo com o que acredito ser melhor. O plano de parto surgiu nos Estados Unidos, há mais ou menos 30 anos, como uma carta na qual a gestante escreve como prefere passar pelas diversas fases do trabalho de parto, como ela e o seu bebê devem ser tratados antes, durante e depois do nascimento.

Primeiramente, escolhi o parto normal pelas diversas facilidades que ele traz. Além disso, acredito que o bebê tem que vir no tempo dele e o parto normal é justamente isso: a hora que tem que nascer, nasce. Vou separar em uma lista o que pretendo no meu plano de parto oficial.

Trabalho de parto

Quero a presença da minha mãe na sala do parto.
Não quero tricotomia (raspagem dos pelos pubianos), mas também não é algo que me incomoda tanto caso seja muito necessário.
Não quero perfusão contínua de soro. A não ser que eu precise de ajuda na hora do parto, mas a princípio quero chegar no hospital quando o Noah estiver praticamente nascendo.
Também pretendo caminhar, ficar na banheira ou chuveiro com água morna e escolher posições confortáveis para ajudar na hora da contração.
Se possível, quero o monitoramento fetal contínuo.
Não quero que a bolsa seja rompida artificialmente, só se for necessário para que o bebê nasça bem.

Parto 

Sobre a posição, eu não sei muito como quero. Talvez deitada.
Quero ser guiada na hora de fazer força.
Não quero epistomia (corte no períneo).
Quero que o bebê seja colocado no peito logo após o nascimento para mamar.
Quero que o médico corte o cordão umbilical apenas quando parar de pulsar.
O bebê deve ficar no quarto comigo o tempo todo.

Em caso de cesárea 

Também quero acompanhamento da minha mãe.
Quero anestesia.
Quero que o campo seja abaixado durante o parto.
Quero que o bebê fique comigo durante a sutura.

Eu não acho que meu plano de parto seja de outro mundo, mas também sei que tudo pode acontecer e ser diferente. O importante mesmo é que o bebê esteja bem no nascimento e venha com saúde. Você já fez seu plano de parto?

O que vestir na gravidez

Descobrimos a gravidez e nos imaginamos com aquela barriga enorme e redonda, depois disso ficamos pensando nas roupas que vão deixar de servir em nós por algum tempo. Nem sempre é necessário comprar roupas novas para cada etapa da gestação, mas é bom se dar um mimo de vez em quando.

Primeiro trimestre da gravidez 

No primeiro trimestre, muitas vezes as suas roupas ainda irão caber. O importante é evitar ao máximo o que for apertado na barriga e usar algo confortável nos seios (que aumentarão nessa etapa).


Segundo trimestre da gravidez 

Sua barriga provavelmente está mais aparente e você está mais disposta, então está na hora de fazer os looks mais bonitos. Sempre deixando a área da barriga sem nada apertado e evite usar saltos, pois isso pode gerar cansaço e varizes nas pernas.


Terceiro trimestre da gravidez 

O cansaço vai reinar nesta etapa, por isso use as roupas mais confortáveis que você tiver. Além disso, aproveite o momento para compor looks despojados com tênis e botas. 


Cada dia que passa existe mais loja de moda gestante, então você vai conseguir ficar linda em todas as fases da gravidez. Não se preocupe se alguma roupa deixar de servir, pois é por uma boa causa. Lembre-se de que não precisa sair comprando peças novas de monte; compre apenas o necessário para você ou peça emprestado para alguém. Como você tem se vestido na gestação?